Domingo, 15 de Março de 2009

A Web 2.0... ou simplesmente uma rede bem montada

 
 
O meu primeiro contacto com a World Wide Web deu-se no início da década de 90, quando uma vez me sugeriram que fizesse uma pesquisa on-line sobre artigos científicos a fim de tentar encontrar mais alguma bibliografia sobre dispersões aquosas de poliuretano (uma área extremamente interessante e muito difícil de concretizar em laboratório). Rumei à 24 de Julho, mais propriamente à Quimigal, para falar com quem percebia destas coisas e que me ajudaria nesta tarefa. Em cinco minutos pediram-me algumas palavras-chave para realizar a pesquisa e poucos segundos depois, no ecrã preto iam aparecendo letras e mais letras revelando as referências bibliográficas que supostamente me iriam ajudar.
 
No final da década tinha já um computador com ligação à internet (uma ligação pelo telefone, que punha a minha família doida com as horas a fio em que a linha ficava ocupada) e adorava o acesso fácil a informação ilimitada. Mas já no novo milénio, o interesse por aquilo a que se chamava a “auto-estrada da informação” esmoreceu e só com o advento da Web 2.0 é que voltei a entusiasmar-me de novo com as maravilhas do mundo virtual.
 
            Aderi a redes sociais virtuais, comentei como uma louca blogs e páginas pessoais, utilizei o skype horas a fio, o msn foi substituindo a pouco e pouco o sms (pelo menos quando estou em casa). Resumindo, sempre que alguém me falava nalguma coisa nova, que ainda não conhecesse lá ia eu aderir sem pensar nas consequências.  A última novidade foi o Twitter. Depois de ter constatado que os meus amigos virtuais mais trendy twittavam dia e noite decidi aderir também. Apesar de twittar ser publicitado como fácil, tal não correspondia exactamente à verdade – utilizar no máximo 140 caracteres é muito limitativo das milhentas coisas que tenho sempre para dizer e achei logo de imediato que a informação que poderia partilhar através desta ferramenta não interessaria a ninguém.
           
            Mas os novos conteúdos e linguagens não se ficaram só pelas máquinas a que chamamos computadores; agora também já na vida real acontecem coisas que pareceriam apenas do domínio da vida virtual e que assentam num fluxo de informação que se propaga a uma velocidade próxima da da luz no vácuo.
 
Nestes tempos modernos não somos nós que procuramos a informação, mas é a informação que nos procura, mesmo quando não queremos ser confrontada com ela; é assim uma espécie de Twitter ao contrário. Eis dois exemplos: o conhecimento de roubos praticados em livrarias por alunos motivados e justificados pelo interesse que têm nas matérias estudadas e os homens que embora não sendo coxos são mais facilmente apanhados por não possuírem a arte de bem ludibriar. Eu praticamente não twitto, mas há quem me twitte a mim!
 
publicado por Veruska às 20:40

link do post | comentar | favorito
|
6 comentários:
De Luísa a 15 de Março de 2009 às 23:41
Pois é, as informações são como as auto-estradas alemãs: chegam a todo o lado e, como não há limite de velocidade, muitíssimo rapidamente. :-))
De guiga a 16 de Março de 2009 às 16:40
Eu não twitto... Será que sou twittada?!?! LOL
Boa semana! *.*
De Veruska a 19 de Março de 2009 às 17:33
Se calhar até és; é melhor estares alerta! :)
De Tio do Algarve a 18 de Março de 2009 às 17:17
Eu, nem uma coisa nem outra, mas também me sinto ludibriado algumas vezes...
Sempre rima com twittado e é verdade.
De Veruska a 19 de Março de 2009 às 17:34
ahahahahaha O que vale é que é só algumas vezes.
De Tiago Coen a 21 de Março de 2009 às 03:22
Muito bom, o teu texto!
Sabes que essa coisa de no twitter não se poder escrever mais do que 140 caracteres, se, por um lado, é redutor, por outro, é uma benção!
Imagina o que não seria capaz de dizer a esmagadora maioria das pessoas que usam tal patetice!!!
;)

Comentar post

.eu

.pesquisar

 

.Agosto 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.últimos reflexos

. ...

. O poder da publicidade......

. Que coisa estúpida... ou ...

. ...

. ...

. ...

. Concentração motard de Fa...

. ...

. ...

. ...

.caixa de Pandora

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2011

. Agosto 2010

. Abril 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

.tags

. todas as tags

.favoritos

. Uma experiência quase cie...

. Os vossos favoritos

.links

.espreitadelas

Contador grátis
Link

.mais comentados

blogs SAPO

.subscrever feeds