Sábado, 26 de Dezembro de 2009

Eu já não ligo ao Natal... ou como a tradição ainda é importante

 
Há quem diga que o Natal é uma festa de família, uma celebração de afectos ou um marco religioso de extrema importância. Há quem celebre o nascimento do Menino Jesus, a troca de prendas ou simplesmente a alegria de estar junto dos que se amam. Há ainda quem ajude os mais desfavorecidos ou pense mais intensamente nos que já não se encontram junto de nós. O apelo ao consumismo intensifica-se de forma exponencial durante o mês de Dezembro, as crianças escrevem ao Pai Natal e os adultos esperam ansiosamente pelo pagamento do subsídio equivalente a um mês de trabalho obtido sem esforço.
 
            Eu encaro essa data quase como apenas um mero feriado – não monto nenhuma árvore de Natal, não suporto ouvir uma única canção de Natal e insisto em manter em exposição durante o ano inteiro o meu pequeno presépio junto de um boneco de vudu com alguns alfinetes espetados.
 
            Mas para mim este ano foi diferente, pois apesar de tudo parece que estou voltar à tradição, já que pela primeira vez na minha vida confeccionei um tronco de Natal. Confesso que para mim o importante não foi a simbologia associada a esta sobremesa, mas sim a quantidade imensa de chocolate e natas que integram a sua confecção.
 
Tal como eu, outros tentaram este retorno à tradição. Houve quem tivesse passado o Natal à luz do “Petromax” inspirando-se na palhota onde nasceu o menino Jesus apenas iluminada pela Estrela de Belém, quem tivesse sido agredido em plena Missa do Galo relembrando as agruras vividas por São José e pela Virgem Maria e até quem tivesse usado armas de fogo relembrando Herodes no massacre das crianças de Belém.
 
           
 
 
publicado por Veruska às 17:55

link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|
Quarta-feira, 9 de Dezembro de 2009

Redes sociais... ou como a moda do "desamigar" já chegou a Portugal

 

            Como já por várias vezes assumi, sou adepta das redes sociais (embora de forma moderada). Não há dia que passe, em que não consulte as últimas nos perfis dos meus amigos ou as actualizações dos que apesar de ainda-não-amigos, alguma coisa lhes quero descobrir.
 
            Para um leigo, é difícil descortinar o real sentido da palavra “amigo” que tantas vezes aparece quando de redes sociais se fala.  Há quem considere que um “amigo virtual” é diferente de um “amigo real” e quem ache o contrário. Há quem goste de cultivar amizades e há quem goste de “adicionar” pessoas até perfazer totais que ultrapassem limites pré-estabelecidos. Recentemente descobri que depois do boom em “amigar” pessoas nas já referidas redes sociais, chegou agora a moda de “desamigar” quem afinal já não merece a nossa afeição, estima ou simpatia.
 
            Este comportamento anti-social de acabar com uma amizade passou a ser assim muito mais fácil e praticamente isento de danos colaterais. Agora uma suposta amizade pode chegar ao fim com um simples clique sobre o amigo que se pretende remover dos nossos contactos.
 
            Mas se nas redes sociais virtuais o “desamigar” é apenas um pequeno gesto que pode ser considerado um acto privado e cuja participação do opositor não é necessária, nas redes sociais reais tal não é assim, especialmente numa rede muito elitista com pouco mais de duas centenas de utilizadores – o Parlamento.
 
            Hoje uma utilizadora desta rede social tentou “desamigar” outro utilizador por, aparentemente, este ter mudado de categoria e agora ser conotado com essa linda arte de divertir o público protagonizando paródias e situações burlescas. O visado não gostou, retorquiu, estrebuchou e até tentou apelar ao nobre sentimento de se ser oriundo da linha de Cascais a fim de resolver a divergência e permanecer na lista de amigos.
 
À hora de publicação deste post encontro-me convicta de que tudo ser irá resolver e que não só o palhaço vai voltar a “amigar-se”, mas que a amiga se irá juntar à categoria dos Palhaços engrossando o rol dos que “não são possíveis de levar a sério”. Resta-nos esperar por amanhã.
publicado por Veruska às 23:10

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

.eu

.pesquisar

 

.Agosto 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.últimos reflexos

. ...

. O poder da publicidade......

. Que coisa estúpida... ou ...

. ...

. ...

. ...

. Concentração motard de Fa...

. ...

. ...

. ...

.caixa de Pandora

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2011

. Agosto 2010

. Abril 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

.tags

. todas as tags

.favoritos

. Uma experiência quase cie...

. Os vossos favoritos

.links

.espreitadelas

Contador grátis
Link

.mais comentados

blogs SAPO

.subscrever feeds