Segunda-feira, 28 de Abril de 2008

Um homem na sua jaula

 

                    

De acordo com a antiga Filosofia Chinesa, a vida não passa de um equilíbrio dinâmico entre duas forças opostas: o Yin e o Yang.  Esta ideia é tão primária que qualquer pessoa, independentemente do seu grau de instrução, consegue apontar rapidamente vários exemplos desta dualidade:  os amantes que se agridem mutuamente, uma pessoa que chora de alegria, um solitário que todos os dias conquista novos amigos, a presença de uma pessoa ausente…

 

Recentemente fui confrontada com uma outra dualidade, que à semelhança do Yan e do Yang muito me inquietou – a de um baterista improvisando livremente um tema musical. Tal como qualquer instrumentista deste género, ele encontrava-se sentado rodeado por tambores e pratos de vários tamanhos e sonoridades.  Sendo ele dotado de uma espantosa sensibilidade e mestria, conseguia extrair sons que por si só enchiam um palco como se lá se encontrasse uma orquestra.   Por vezes utilizava baquetas, outras vezes vassourinhas ou então simplesmente os dedos que percutiam de forma ritmada a pela esticada dos vários cilindros musicais ou que, depois de humedecidos, deslizavam produzindo sons que normalmente não associo a este tipo de instrumento.  

 

Sempre associei a música à liberdade. Para mim ela é uma forma de “voar sem asas” e daí ter uma admiração extrema por todos os músicos. Mesmo sem os conhecer, estabeleço com eles um nível de intimidade que por vezes não se atinge com pessoas que estão mais próximas de nós. Apesar de tal facto estar longe de ser um mistério, considero muito mágico que as vivências de um compositor transpostas para a sua melodia despertem em mim emoções que não são mais do que reflexos da minha vida.

 

Durante todo o espectáculo não consegui desviar o olhar daquele homem que sorria, preso na jaula da sua parafernália.  Ele fez-me voar sem asas! Adorei!

publicado por Veruska às 22:18

link do post | comentar | favorito
|
3 comentários:
De guiga a 29 de Abril de 2008 às 16:16
Eh pá, onde foi isso? Deve ter sido espectacular mesmo!
Beijinhos *.*
De Veruska a 5 de Maio de 2008 às 17:48
A prestação da Jacinta foi boa mas não excepcional, já a do baterista, é melhor nem falar...

Quanto ao local foi no cine-teatro de Loulé...Pena que a sala não tem uma muito boa acústica e nessa noite de Primavera, que mais parecia Inverno, gelei como se tivesse em Andorra ou na Serra Nevada.
De Infinito e Mais Além a 18 de Maio de 2008 às 16:01
Gostei do texto e agradeço as visitas que tens feito ao meu! Obrigado.

Comentar post

.eu

.pesquisar

 

.Agosto 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.últimos reflexos

. ...

. O poder da publicidade......

. Que coisa estúpida... ou ...

. ...

. ...

. ...

. Concentração motard de Fa...

. ...

. ...

. ...

.caixa de Pandora

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2011

. Agosto 2010

. Abril 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

.tags

. todas as tags

.favoritos

. Uma experiência quase cie...

. Os vossos favoritos

.links

.espreitadelas

Contador grátis
Link

.mais comentados

blogs SAPO

.subscrever feeds