Sexta-feira, 16 de Janeiro de 2009

Eu odeio "bicheza"... ou como também sou uma artista plástica

 

 

Os insectos são o grupo de animais mais diversificado existente na Terra e porventura, serão também os que existem em maior número e eu não tenho uma especial afeição por nenhum deles: não gosto de gafanhotos, odeio aranhas, abomino baratas, irritam-me as moscas… Se a esta classe juntar alguns rastejantes obtém-se a categoria da “bicheza” que eu simplesmente não suporto. 
 
Quando comecei a morar sozinha lembro-me de que o meu grande receio era ter de enfrentar uma aranha preta e não poder chamar pelo Paiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii ou melhor ainda pela Mãeeeeeeeeeeeeeeeee que foi sempre a mais corajosa. Assim, a minha estratégia inicial foi comprar toda a gama de insecticidas para voadores e rastejantes, coisa que de pouco me valeu quando me defrontei com uma pequena osga. O bicho em causa revelou-se imune aos insecticidas e só morreu quando lhe dei com a lata em cima. Algum tempo depois mudei-me e também aí, nesse meu novo lar se deram vários encontros imediatos com a bicheza (embora considere que isso me tenha, a pouco e pouco, preparado melhor para a vida).
 
A protagonista do primeiro frente-a-frente foi também uma osga-bebé que eu avistei naquele que viria a ser o meu quarto, na primeira vez que visitei o apartamento. O susto foi brutal, o vendedor imobiliário riu-se e eu senti-me indignada e muito apreensiva com o futuro, tais eram as inúmeras dúvidas que surgiam:
- se a casa estava fechada por onde tinha entrado a osga???
- será que existia algures na casa um “ninho” de osgas???
- se nós íamos deixar tudo muito bem fechadinho, por onde iria sair a osga-bebé???
A ansiedade é tanta que, ainda hoje, a fantasia que não consigo controlar faz despertar em mim o temor de ao abrir um armário ou uma gaveta poder encontrar uma osga feita crocodilo…
 
Mas foi também nesta minha casa que outro pânico nasceu e que à custa de tantos encontros, acabou por desaparecer, hoje mesmo dia 16 de Janeiro de 2009: o pânico das baratas, esse insecto que eu só conhecia dos documentários da televisão. Da primeira vez que uma me apareceu em casa (ainda por cima no meu quarto) fartei-me de gritar e fugi, fechando a porta. É claro que alguns segundos depois voltei e fiz a única coisa que sabia fazer - despejar uma lata inteira de insecticida no quarto - saindo de seguida para trabalhar com uma nervosismo impossível de controlar. Desde então a minha atitude tem mudado e hoje alcancei o meu objectivo máximo ao pisar uma barata com as minhas crocs novinhas em folha sem ter dado conta disso. Não senti nervosismo, nada de nada e só pensava que já não bastava estar muito atrasada para ir trabalhar e o meu dia ainda tinha de começar a limpar aquele cadáver ali esparramado no chão!
 
Mas este acontecimento, por si só tão importante ou não assinalasse ele uma vitória do meu autocontrole, depois de associado a outros aspectos assume ainda maior importância. Nestes últimos dois a três dias, tenha vindo a ter vários problemas com os meus equipamentos eléctricos e electrónicos: a minha máquina digital avariou, não houve sinal da TV Cabo durante muitas horas seguidas, o teclado do telemóvel está a ficar estranho e até o meu e-mule bloqueou. Agora percebo que de alguma forma eu estou a aproximar-me de alguns artistas plásticos e que o meu trabalho se insere no domínio da bioarte. Enquando o artista Leonel Moura constrói robôs-insectos criando novas formas de vida artificial utilizando a tecnologia, eu faço precisamente o contrário.
 
tags: , , ,
publicado por Veruska às 23:20

link do post | favorito
De Luísa a 17 de Janeiro de 2009 às 18:03
Não me parece que tenhas a ver com qualquer tipo de artista plástico! A tua vertente é outra: a de exterminadora implacável, o que de artístico não tem nada! Além disso, os insectos do Leonel Vieira, apesar de inovadores, mereciam também levar com as tuas Crocs em cima.
De Veruska a 17 de Janeiro de 2009 às 18:35
Ohhh, não digas isso. Eu adoreiiiiiiiii os bichinhos tecnológicos!
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



.eu

.pesquisar

 

.Agosto 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.últimos reflexos

. ...

. O poder da publicidade......

. Que coisa estúpida... ou ...

. ...

. ...

. ...

. Concentração motard de Fa...

. ...

. ...

. ...

.caixa de Pandora

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2011

. Agosto 2010

. Abril 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

.tags

. todas as tags

.favoritos

. Uma experiência quase cie...

. Os vossos favoritos

.links

.mais comentados

blogs SAPO

.subscrever feeds